PORQUE NADA É PRA SEMPRE

Muito tempo atrás, quando o mundo ainda era mundo, nos primórdios do tempo, a humanidade vivia a chamada Época Dourada, ou Idade de Ouro. Nessa época, a deusa Harmonia permitia que os deuses vivessem em harmonia com as pessoas. E que as pessoas vivessem em harmonia com as pessoas. E que deuses, pessoas, animais e natureza vivessem em harmonia. A deusa Abundantia dava todo o sustento de que precisassem. Juno, Afrodite e Amor transformavam o lugar todo em um grande Éter: corpos exuberantes, belezas incomparáveis (mas nenhuma comparada a você Juno, calma!). Fauna e Flora davam a beleza natural de que o planeta necessitava. E Dies fazia os dias mais bonitos, e sua mãe Nix as noites mais lindas. Mnemósime e as nove musas cantavam, dançavam e interpretavam, e suas belezas e talentos eram admirados até pelo mais carrancudo dos humanos.

Tudo ia bem demais até que Discórdia, mesmo sem ter sido convidada para a festa, resolveu aparecer com um "presente" para as mulheres do lugar: um Pomo da Discórdia com a inscrição "para a mais bela das deusas". Tamanha foi a disputa entre as deusas que a visão de paraíso começou a ruir abruptamente. Houve muita fuga e muita ira. Abundantia não quis mais participar de uma sociedade em que Amor não tivesse lugar. Foi instaurado o caos. Foi nessa época que novos deuses começaram a acompanhar Gaia: os demônios Íncubo e Súcubo, Tânato, Plutão, Míser, Nêmesis. E a humanidade presenciou a abertura do portal de Averno.

Desde então, os deuses e os mortais originais se ressentem dessa época de tamanha paz. Sentem muita falta, inclusive, de pessoas com as quais conviviam e que não existem mais. Talvez tenham sumido, talvez tenham fugido, talvez tenham morrido. Talvez tenham se esquecido desse tempo e dessas pessoas. Talvez tudo tenha sido uma grande ilusão provocada por Somnos ou um delírio provocado por Fantasia. A verdade é que as pessoas começaram a sentir um grande peso por dentro, uma mistura de remorso, de nostalgia, de tristeza e de alegria. Vez ou outra, percebe-se que um sorriso se desenha junto a uma lágrima, ou uma lágrima nasce em meio a um sorriso. Tudo por conta das lembranças doídas e prazerosas de um tempo maravilhoso que a incerteza não deixa saber se voltarão. Ou se haverá novos dias tão felizes.

É que ninguém percebeu, estavam todos ocupados para perceber, que, quando os deuses maus apareceram, um outro deus discreto, silencioso, da cor da sombra que deixa as lembranças e os sonhos sem cor, surgia em meio ao vácuo do Universo. Foi assim que nasceu o deus Saudade.

Planos impossíveis Uma semana sem te ver. Eu já sabia que isso ia acontecer. O tempo passa eu fico mal. É ilusão achar que tudo está igual. Você apareceu pra mim. Não posso evitar me sentir assim. O que eu faço pra escapar dessa vontade que eu tenho de falar toda hora com você? Faço planos impossíveis pra te ver mas, pra mim, são tão reais. O que aconteceu, eu não me lembro mais. Eu poderia escrever mil canções só pra você. Poderia te falar meus motivos pra gostar tanto de você. Me diz quando a gente vai se ver. Pra eu poder te abraçar e tentar te explicar a falta que você me faz. Eu não aguento mais ficar tão longe de você. Você me diz que não tá bem. Que não para de pensar em mim também. Agora, antes de dormir, por dois segundos eu consigo até sorrir. Por que essa complicação? Distância é o fim pra quem tem coração. Será que eu devo te dizer que eu quase choro quando falam de você? Mas eu consigo segurar pra ter certeza que ninguem vai reparar que eu tô cada vez pior. E a saudade em mim é cada vez maior. E eu não sei se algum dia eu já me senti assim. Eu nem me lembro de querer alguém como eu quero você pra mim. E é por isso, que eu vou te dizer.

DO QUE VOCÊ TEM SAUDADE?|NADA É PARA SEMPRE|AOS OLHOS DA SAUDADE, COMO O MUNDO É GRANDE|É MELHOR TER AMADO E PERDIDO DO QUE NUNCA TER AMADO|ISSO TAMBÉM VAI PASSAR

Retrospectus - Actus I

Sou daquele tipo raro de gente que não gosta da proximidades do Natal, do Ano-Novo e do meu aniversário. As 3 datas ocorrem num espaço de 13 dias, o que, pra mim, significa 13 dias de chateação. 
Não é que eu não goste das datas ou do que elas significam. Pelo contrário. Sou cristão, católico, acho, sim, que devemos comemorar o dia do nascimento do meu/nosso salvador, devemos comemorar mais um ano que se inicia - não necessariamente um que se acaba -, porque, isso também, é fruto do cristianismo, essa virada nova de ano (até então era o calendário juliano, os árabes têm o deles, os chineses têm o deles...) e, por fim, meu aniversário, que cai no dia de Santos Reis, mais uma data que não existia antes do cristianismo.
Veja bem, sou totalmente a favor de tudo isso, essas festividades e tal. Sinto muito orgulho em ter nascido no dia em que os reis magos encontraram o menino Jesus. Minha bisavó queria que eu me chamasse Bruno dos Reis, e até instituí o 6 como um dos meus números da sorte - mesmo que essa palavra se apresente com tanta raridade em minha vida.
O problema, para mim, é no que as pessoas transformaram essas datas.
Não, antes disso. Eu sou daquele tipo mais raro ainda que tem coragem para falar o que pensa. Porque, cá entre nós, nesse mundo atual, é muito perigoso você não gostar de alguma coisa. Você simplesmente não pode não gostar de alguma coisa. Geralmente chamam a isso de preconceito. Não, sou das antigas. E sou de família italiana, portuguesa e espanhola, todas da pior espécie. Sou bruto, rústico e sistemático. Das antigas. Tem as coisas de que eu gosto e tem as coisas de que eu não gosto. E, na boa, se sou assim, qual o problema? Você tá na minha vida pra me aceitar como eu sou ou pra me mudar? Se quiser ficar, fique, se não quiser, pode ir embora. Cuide bem de mim ou suma.
Voltando ao meu problema.
Não, antes disso ainda.
Eu sou daquele tipo raro que enxerga o mundo com o coração. Ou seja, racionalidade pra mim é um negócio que fica em segundo plano. Faço duas vezes antes de pensar. E valorizo a segunda-feira tanto quanto a sexta-feira. Não porque é a segunda-feira, mas porque é um dia. Como todos os outros dias. Eu vejo as pessoas torcendo para a sexta-feira chegar logo, e pra quê? Pra perder uma semana inteira? Pra perder a chance de ser melhor, de fazer algo diferente? Será que vocês têm consciência de que o que passa não volta? Esses dias, para os quais vocês torceram para que passassem logo, não vão voltar. Na sexta-feira, vocês só estarão mais velhos. É isso o que querem da vida? Sei lá, eu não. Eu penso diferente.
Agora sim, voltando.
Por que esperar o Natal para ser bom? Pra quê esses presentes caros? Por que vocês colocam na cabeça que um dia fará toda a diferença, que uma noite irá apagar todo o mal que vocês produziram durante o ano todo? Eu vejo, não sou bobo. Eu vejo pessoas exibindo carros, celulares, comidas, computadores... Pra quê essa ostentação? De onde vem esse orgulho? Você foi um dos criadores desse celular? Você ajudou a produzir esse carro? Você plantou essa comida? Ou você só trocou tudo por dinheiro? E aí no ano que vem você vai trocar tudo de novo.
Será que as pessoas à sua volta estão satisfeitas com você? Estão felizes com você? Será que quando você bater seu carro, seu celular vai te levar pro hospital? Quando você tiver fome, você vai comer sua roupa?
E esse Ano-Novo, que as pessoas comemoram tanto? É a virada que muda tudo? Por que essa cabecinha tão minúscula?
"Ai, porque não pode comer ave no Ano-Novo porque ela cisca pra trás". "Tem que usar amarelo porque a Xuxa falou que funciona".
Por favor, me poupe de suas crendices. Come o que quiser, faz o que quiser. Não é isso que vai mudar.
O tempo, meus queridos, não faz nada.
"Ai, porque o tempo cura tudo".
Fica sentado vomitando sangue então e espera o tempo curar. Vamos aguardar, pra ver o que acontece.
O que acontece é que a alma tem doenças tanto quanto o corpo tem. O tempo não cura nada, essa é a verdade. A cabeça também tem doenças tanto quanto o corpo e a alma. De nada adianta ficar parado olhando o tempo ou fazer simpatias na virada do ano. Se você é um bosta, que aceita o destina que lhe é imposto, você continuará sendo um bosta. Mas se você, todo dia, faz algo para mudar o rumo de sua história, mesmo que não consiga, mas tente, é isso que vale. Não são as 7 ondinhas que você pula, não é a roupa branca que você usa. É o seu caráter, é o que você é e acredita ser capaz que mudam o mundo e o seu mundo. Para de ser idiota e se apegar tanto a datas. São apenas datas. O que elas representam é que é importante. Pare de desejar "muita paz e tudo de bom pra você" se não é de coração. Vale mais transformar a vida de alguém em algo bom do que desejar e ficar de longe assistindo.
E, por fim, chegamos ao meu aniversário. Essa data de merda em que dizem que eu nasci, alguns anos atrás. Nem importa. Não sei se existe o inferno astral, mas o meu existe e dura 12 meses. Há anos não sei o que é ter um aniversário decente. Sempre tem algo pra estragar.
Mas, de novo, é apenas uma data. Ela não vai mudar nada. O que as pessoas fazem comigo o ano inteiro não muda no meu aniversário. É apenas um reflexo.
Reflexo de todo o mal que eu causo? Não sei, pode ser.
Mas talvez seja porque eu não me encaixo nesse mundo e só agora percebi e tive coragem de perceber. Já não ligo mais se penso diferente de todo mundo, se faço as coisas diferente. Ultimamente tenho recebido tantos "não" que tá ficando muito chato viver. Tudo que eu falo, sugiro, recebo um "não".
"Não é assim". "Ainda não". "Não faz isso". "Não falei isso". "Você não devia ter feito isso". "Você está errado". "Não faz tempestade em copo d'água". "Não seja dramático". "Não gosto disso". E por aí vai.
Eu acho uma chatice cantar parabéns, receber gente em casa. Eu acho uma chatice qualquer evento social. Você tem que ficar lambendo as pessoas. Que maldito ego inflado! Assumam os erros, poxa vida, vocês não são mais crianças. Se alguém disser que você errou, será que não passa pela sua cabeça que ela pode estar certa? Se uma pessoa lhe diz que você a magoou, por que não pensar que ela pode estar certa? Não, a primeira palavra que vem é "não". Porque você está sempre certo, né, companheiro? Você é fodão!
Não sou eu quem está errado, veja bem, quando informo outra pessoa de que não gostei de algo, de que não gostei de alguma coisa que ela fez ou disse, que me senti mal. Se estou falando, por que não me ouve? Por que não pensa "poxa, talvez eu tenha errado com ele", "talvez ele seja mais sensível mesmo"? Sei lá, será que em tudo mesmo sou eu o errado? Será mesmo?
Se cobro o que prometeram e não cumpriram, quem é o errado?
Se espano depois de aguentar uma chateação por muito tempo, quem é o errado?
Aí, se respondo grosso, o errado é quem, de novo?

Manda pra alguém:

CONVERSATION

0 comments :

Postar um comentário