PORQUE NADA É PRA SEMPRE

Muito tempo atrás, quando o mundo ainda era mundo, nos primórdios do tempo, a humanidade vivia a chamada Época Dourada, ou Idade de Ouro. Nessa época, a deusa Harmonia permitia que os deuses vivessem em harmonia com as pessoas. E que as pessoas vivessem em harmonia com as pessoas. E que deuses, pessoas, animais e natureza vivessem em harmonia. A deusa Abundantia dava todo o sustento de que precisassem. Juno, Afrodite e Amor transformavam o lugar todo em um grande Éter: corpos exuberantes, belezas incomparáveis (mas nenhuma comparada a você Juno, calma!). Fauna e Flora davam a beleza natural de que o planeta necessitava. E Dies fazia os dias mais bonitos, e sua mãe Nix as noites mais lindas. Mnemósime e as nove musas cantavam, dançavam e interpretavam, e suas belezas e talentos eram admirados até pelo mais carrancudo dos humanos.

Tudo ia bem demais até que Discórdia, mesmo sem ter sido convidada para a festa, resolveu aparecer com um "presente" para as mulheres do lugar: um Pomo da Discórdia com a inscrição "para a mais bela das deusas". Tamanha foi a disputa entre as deusas que a visão de paraíso começou a ruir abruptamente. Houve muita fuga e muita ira. Abundantia não quis mais participar de uma sociedade em que Amor não tivesse lugar. Foi instaurado o caos. Foi nessa época que novos deuses começaram a acompanhar Gaia: os demônios Íncubo e Súcubo, Tânato, Plutão, Míser, Nêmesis. E a humanidade presenciou a abertura do portal de Averno.

Desde então, os deuses e os mortais originais se ressentem dessa época de tamanha paz. Sentem muita falta, inclusive, de pessoas com as quais conviviam e que não existem mais. Talvez tenham sumido, talvez tenham fugido, talvez tenham morrido. Talvez tenham se esquecido desse tempo e dessas pessoas. Talvez tudo tenha sido uma grande ilusão provocada por Somnos ou um delírio provocado por Fantasia. A verdade é que as pessoas começaram a sentir um grande peso por dentro, uma mistura de remorso, de nostalgia, de tristeza e de alegria. Vez ou outra, percebe-se que um sorriso se desenha junto a uma lágrima, ou uma lágrima nasce em meio a um sorriso. Tudo por conta das lembranças doídas e prazerosas de um tempo maravilhoso que a incerteza não deixa saber se voltarão. Ou se haverá novos dias tão felizes.

É que ninguém percebeu, estavam todos ocupados para perceber, que, quando os deuses maus apareceram, um outro deus discreto, silencioso, da cor da sombra que deixa as lembranças e os sonhos sem cor, surgia em meio ao vácuo do Universo. Foi assim que nasceu o deus Saudade.

Planos impossíveis Uma semana sem te ver. Eu já sabia que isso ia acontecer. O tempo passa eu fico mal. É ilusão achar que tudo está igual. Você apareceu pra mim. Não posso evitar me sentir assim. O que eu faço pra escapar dessa vontade que eu tenho de falar toda hora com você? Faço planos impossíveis pra te ver mas, pra mim, são tão reais. O que aconteceu, eu não me lembro mais. Eu poderia escrever mil canções só pra você. Poderia te falar meus motivos pra gostar tanto de você. Me diz quando a gente vai se ver. Pra eu poder te abraçar e tentar te explicar a falta que você me faz. Eu não aguento mais ficar tão longe de você. Você me diz que não tá bem. Que não para de pensar em mim também. Agora, antes de dormir, por dois segundos eu consigo até sorrir. Por que essa complicação? Distância é o fim pra quem tem coração. Será que eu devo te dizer que eu quase choro quando falam de você? Mas eu consigo segurar pra ter certeza que ninguem vai reparar que eu tô cada vez pior. E a saudade em mim é cada vez maior. E eu não sei se algum dia eu já me senti assim. Eu nem me lembro de querer alguém como eu quero você pra mim. E é por isso, que eu vou te dizer.

DO QUE VOCÊ TEM SAUDADE?|NADA É PARA SEMPRE|AOS OLHOS DA SAUDADE, COMO O MUNDO É GRANDE|É MELHOR TER AMADO E PERDIDO DO QUE NUNCA TER AMADO|ISSO TAMBÉM VAI PASSAR

Prelúdio


Amiga minha, senta aqui do meu lado. Hoje eu quero te ouvir. Hoje você vai poder falar de tudo que está sentindo, de tudo que tem te atormentado durante esses dias. Eu sei, "tudo" é muita coisa. Mas eu não tenho pressa com você. Podemos prolongar essa noite até quando quisermos. Até ficarmos cansados de falar, de chorar, ou não aguentar mais de sono. Vem aqui, senta mais perto. Vê como tá silêncio aqui? É, eu sei. Escolhi esse lugarzinho pra gente ficar à vontade.
Não sabe por onde começar, né? Eu sei. Já estive na sua pele antes. Eu começo então. Assim você se sente mais tranquila. Os pensamentos não estão se encaixando, né? Eu sei... Eu sei como você está se sentindo. Fica tranquila. Tudo que conversarmos aqui, hoje, ficará somente aqui. Pode confiar em mim. Eu não seria capaz de te trair. Isso não faz parte de mim. Não sei mentir. E você vale muito pra mim, pra eu arriscar te perder tão fácil assim.
Sabe, muito tempo atrás, eu chorava só de ouvir um nome. Foram tempos difíceis, aqueles. Me vi sozinho no mundo. Sem amigos. Sem companhia. Sem eu mesmo... Sabe quando você não cabe dentro de você? Quando nenhuma baladinha é boa o suficiente, nenhuma pessoa te agrada... Era assim. Saía de casa porque ficar confinado só piorava as coisas. Mas não tinha pra onde ir, com quem ir. Tinha nada pra fazer.
Eu tive meu orgulho ferido, amiga. Eu fui dispensado no auge da minha forma. Eu me sentia bem, eu me esforçava pra conseguir, e tinha chegado num ponto muito alto da minha vida. Poderia ficar daquele jeito pra sempre! Ficar daquele jeito era, aliás, o plano. Onde foi parar tudo, eu perguntava. Até hoje quando ouço as músicas daquele tempo, me vem tudo à memória. Mas não é mais como antes. Como disse, foram tempos difíceis. Eu sobrevivi, como pode ver. Hoje, eu ensino outras pessoas a saírem do buraco, e até a não caírem nele. Eu saí do submundo em que vivia, como pode ver. Quer saber como foi? Eu te conto.
Eu carrego um defeito comigo. Eu nunca estou satisfeito. Mesmo nas coisas que estão do jeito que eu gosto, sempre tento melhorar. Veja bem: eu disse tento. Conseguir é uma outra história. Essa sede de melhorar, de progredir, de prosperar, foi meu carro chefe naquela época. Mas também não pense que esse carro chefe sempre esteve lá pra mim. Eu fiquei caído um bom tempo. Não me importava com aquela situação deprimente em que eu me encontrava. Estava conformado que era o fim do caminho pra mim. Com isso acabei conhecendo gente muito interessante. Eu contei tudo sobre mim e mesmo assim elas quiseram me acompanhar. Mas eu não tive a sensibilidade de - ou não era o momento pra - mantê-las em minha vida. Assim acabei perdendo gente que tinha tudo pra ser muito especial pra mim, por conta do atoleiro em que eu me afundava cada vez mais.
Os dias foram passando, os meses... O pensamento voava longe, tirava meus pés do chão, eu devaneava na aula e mal conseguia dormir à noite. As músicas me perfuravam por dentro, e uma vez ou outra voltava a sentir o perfume no ar, mesmo que não fosse aquele perfume que me fazia delirar. O tempo passava, e eu acelerava cada vez mais forte. As lásgrimas corriam, não tinham hora pra cair. Nada me agradava. Meu curso, meus amigos, meu time... Nada. Eu odiava tudo. Nada valia a pena se não a tivesse comigo de volta.
Quanto mais eu pensava, mais me doía por dentro tudo aquilo. Mas quanto mais eu pensava, mais ficava fácil de ir superando. A ideia é bem simples: quando alguma coisa acontece, quando você perde alguém, quando você é derrotado na vida, e não tem mais nada que você possa fazer, você já fez tudo que estava ao seu alcance, pra superar você vai passar por dois degraus: é preciso entender e aceitar o que aconteceu. Não necessariamente que esses dois degraus venham ao mesmo tempo. Eu acabei entendendo primeiro, tudo o que aconteceu. Reorganizei meus pensamentos, passei a dar valor em quem estava ali pra mim, em quem se importava em me ver maior, mais forte. A quem se importava em me ver, pelo menos, em pé. Já era mais do que eu tinha conseguido em muito tempo.
O tempo foi passando e, entenda, o tempo não faz nada por você. Ou você faz alguma coisa pra mudar a situação, ou tudo vai continuar exatamente como está.
Foi assim que, com força pra me aguentar em cima das minhas próprias pernas, recomecei a trilhar meu caminho. Sacodi a poeira, abracei todo mundo que estava em volta de mim, e me convenci: esse não sou eu.
Aos poucos, fui superando uma coisinha de cada vez que estava entalada aqui dentro. Aos poucos a raiva foi passando, as lágrimas foram ficando mais raras, e não era mais um problema pra mim falar nela. Foi aí que aceitei o que tinha acontecido.
Amiga, olha pra mim. Olha pra mim. Deixa eu secar essas lágrimas. Isso. Está melhor. Borrou um pouco a maquiagem, e daí? Você continua linda. Sorria pra mim. Isso. Muito melhor. Vem cá. Deixa eu te abraçar. Esquece o que passou, vai ficar tudo bem. Eu garanto. Pode confiar em mim. Não te faria confiar tanto em mim se fosse tudo mentira.
Eu sei que posso porque sobrevivi depois da minha alma despedaçada. Eu sei porque meu coração já esteve mais vazio que o seu. Aprendi sozinho como levar um coração sofrido, uma alma cansada. Aprendi sozinho a entender um olhar como o seu, que me diz que não sabe o que fazer, que pede ajuda mas tem medo de confiar. Ouça o que eu te digo: se jogue nos meus braços, deite nas minhas palavras, eu te garanto que te farei mais tranquila todo dia. E quando só quiser gritar, chorar, xingar e falar, eu prometo te escutar quieto. Não se preocupe, isso não me atinge, isso não me derruba. O que me derruba é te ver assim, caída. Eu estou acostumado com seu sorriso lindo. Quero voltar a dançar com você, criar aquelas coisas loucas das quais que a gente se mata de rir. Num mundo em que é cada vez mais comum cada um se preocupar em cuidar só de si próprio, o que eu mais quero é cuidar de você.
Aqui, pega a minha mão. Você está segura agura. Não vou te soltar. Você não vai cair mais. Não precisa falar se não quiser. Deixe sua alma descansar, deixe sua cabeça acalmar agora. O pior já passou, eu te garanto. Sente esse vento gelado? Vê como ele seca suas lágrimas? Quando eu não estiver perto, quando minha mão quente não puder secar suas lágrimas, pensa nesse vento como um sopro meu em você, um sopro de confiança, um sopro de quem gosta muito de você. De quem sabe que você tem um valor inestimável, muito maior do que essas vozes aí dentro estão gritando que você vale.
Mas por hoje deixa assim como está. Apenas descanse. Apenas esqueça que o mundo é um lugar ruim. Não pense em nada. Não diga nada. Não agora. Esqueça aqueles gritos de dor do passado. Agora está tudo bem. Agora é que as feridas vão começar a se cicatrizar. Confia em mim. Eu fico aqui com você essa noite, e enquanto você precisar de alguém pra te lembrar como só a sua existência já é suficiente pra que o sol nasça amanhã de novo.
Feche seus olhos e durma bem.
As coisas ruins ficaram pra trás já. Ontem você chorou. Hoje não mais.

Manda pra alguém:

CONVERSATION

0 comments :

Postar um comentário